Sobre a honestidade

Diga-me. Ainda consegues encontrar em teus caminhos pela vida afora, a honestidade? É cada vez mais raro esbarrar por aí com ela. Até surgiram rumores por entre os muros do dia a dia que a espécie anda em extinção. Os jornais do mundo não me deixam mentir. A ausência da honestidade traz grande impacto à humanidade.

Estive por aqui olhando no vídeo-tape da vida, e pude resgatar algumas lembranças de quando ela estava ainda mais presente na vida das pessoas. Apanhei então um papel e uma caneta e tomei notas de algumas recordações mais recentes para que você também consulte por aí suas histórias com a honestidade. Saudosos tempos onde ela vivia livremente por entre os homens, cada qual possuía a sua, segurava-a pelas mãos e onde quer que fosse ela estaria sempre juntos.

Lembra-te daquela carteira com alguns trocados que você achou? Aqueles poucos trocados eram a esperança, o fruto necessário para sobrevivência de um chefe de família. Você encontrara na rua da estação ali bem perto daquela loja de roupas e, era de um operário viúvo com quatro filhos, quem nos relatou o desfecho da história foi o policial daquela praça que ficou encarregado de localizar o verdadeiro dono e, conseguiu! A honestidade também estava presente junto daquele batalhador policial.

E aqueles poucos papéis esquecidos pelo casal na poltrona do aeroporto naquela nossa última viagem a trabalho? Parecia muito importante para eles ao recebê-los de volta, lembra? O troco à maior que devolveste a garota do caixa? Tadinha, novata de tudo na profissão, seu primeiro emprego e teria que prestar conta ao patrão que possivelmente teria descontado do seu primeiro ordenado, não tenha dúvida. Graças a você, mudou o percurso daquela história.

Lembra-te do aviso de “Tinta Fresca” que você colocou no portão? Salvou Dona Clara de encostar seu vestido, o último presente de sua filha antes de falecer, é uma recordação e tanto para ela e você cuidou para que aquela história continuasse. Ah! Já ia me esquecendo, lembra também na entrevista de emprego quando disse ao seu futuro patrão de que não sabia nada de inglês? Graças a ela e, claro seu esforço e dedicação lhe rendeu um curso inteiramente financiado por ela.

Sabe aquele amigo aventureiro no empreendedorismo? Aquele mesmo que não levava muito jeito para os negócios? Graças a sua honestidade seu negócio emplacou e, hoje todos querem saber o segredo do seu sucesso. Adivinha!  Ele não anda mais só, a honestidade está ali com ele todos os dias, a cada assinatura de contrato e em cada venda aos seus clientes, esta foi a maior das suas descobertas. David também foi honesto com Ana quando a disse que não a amava, não na mesma intensidade que ela o amava, com isso, seguiram rumos diferentes, e hoje possuem famílias maravilhosas, são felizes!

Todo mundo devia andar de mãos dadas com a honestidade, não há vergonha nisso, alguns até a levam para passear, mas ela não se manifesta em momento algum. A honestidade é prima da gentileza, da caridade, e irmã caçula da sabedoria. De fato, uma grande e imensa família, todos poderiam adotar o hábito de manter essa família inteira que nasce com a gente, quando nascemos já viemos com essas sementinhas, mas se não a regarmos diariamente nem zelarmos por elas, morrem todas. A prática da honestidade deve ser um hábito diário, começando contigo mesmo antes, que mal lhe pergunte: Como andas a sua honestidade?

Nenhuma herança é tão rica quanto a honestidade. – William Shakespeare

Robson Joaquim

* * *

Anúncios

16 comentários sobre “Sobre a honestidade

  1. Robson, já posso tirar o chapéu pra vc? Que texto, hein?A minha honestidade anda ativa, precisei exercitá-la ontem e não me arrependi. Tive que ser firme com uma pessoa que achei que fosse amiga, mas depois de 9 anos me dei conta de que ela tinha uma amiga e eu não. Toda forma de honestidade, por menor que seja, faz a diferença. A honestidade nos mostra quando é hora de abraçar ou hora de largar. Hora de honrar e hora de desprezar. Hora de amar e hora de cortar.

    Continue exalando qualidade por aqui!

    Ótima semana,

    Gisley Scott

    Curtido por 1 pessoa

  2. Perfeito Hélio. Nenhuma herança é tão rica quanto a honestidade. Já dizia William Shakespeare. Com bons exemplos e nossas histórias, em parceria com nossos filhos conseguimos guiá-los no bom caminho da vida. Acredito também que a religião e as escolas teriam papel fundamental neste incentivo, porém nos dias atuais, ou pela falta de alguns pais não acompanharem (ou guiá-los) seus filhos a uma Fé, e as escolas por não se preocuparem tanto como antigamente faziam, então cabe a nós, pais a cumprir nossa parte. Hélio, só tenho a agradece-lo por seu comentário, visita e por gostar do blog. Um fraterno abraço e volte mais vezes!!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Gostei muito do seu texto Robson Joaquim, ainda q com muita relutância a honestidade ainda existe, isso pq tem fortes ligações com nosso berço. Acredito q mesmo diante de tantas dificuldades para a educação, os pais (aqueles com o dom) lutam para q seus filhos sigam o caminho mais reto possível da vida pela gentileza, caridade e sabedoria, como vc falou, são da família da honestidade.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Justamente Mia. Tentei fazer uma provocação aqui no texto, referênciando algumas lembranças de quando a honestidade ainda estava mais presente na vida das pessoas. Claro, existe honestidade no mundo ainda, porém, quase em extinção. Cabe a cada um de nós manter viva dentro de nossa obrigações. Obrigado por seu ponto de vista.

    Curtir

Gostou? Deixe seu comentário será uma honra!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s